quarta-feira, 5 de maio de 2010

Agricultores familiares da região se reúnem e realizam manifestação contra a fosfateira


Dia de Lutas da Agricultura Familiar mobilizou mais de 200 pessoas

A VI Jornada de Lutas da Agricultura Familiar realizada em frente ao Museu Willy Zumblick, em Tubarão, reuniu mais de 200 agricultores familiares do Território Serra-Mar. Além de agricultores, Cresol, Cooperativas de Produção, Sintraf’s, Ong Montanha Viva, Movimento Nascentes da Serra e outras entidades engajadas a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetraf-Sul) se reuniram em busca por melhores condições de vida e seguridade para permanência no campo, principalmente os jovens agricultores.

Milo, ao centro, discursa sobre a fosfateira e merenda escolar

O projeto “Fosfateira de Anitápolis” entrou na pauta de lutas da Fetraf. O presidente da Ong Montanha Viva, de Florianópolis, Jorge Albuquerque, esteve presente no ato público e discursou sobre os riscos da instalação da indústria. Os ambientalistas Ademir Milo Motta da Silva, Fernando de Carvalho e Eraldo Nazário representaram o Movimento Nascentes da Serra. Milo explanou seu manifesto contra a fosfateira e também criticou a terceirização da merenda escolar feita pelo governo estadual.
Ele citou dois exemplos práticos onde a qualidade da merenda teve uma grande queda. Em Gravatal, município onde foi secretário e Chapecó. “No nosso município de Gravatal percebemos a vinda de frango enlatado. Um alimento cheio de conservantes. E em Chapecó, região grande produtora de leite, as escolas receberam na merenda escolar leite em pó vindo do Uruguai. O governo tem que olhar para os agricultores familiares. Devemos trazer de outro estado ou país, somente o que não temos por aqui. Aquilo que é produzido nas regiões deve ser prioritário no uso da merenda escolar”, destaca Milo.
Entre vozes dos agricultores, um coro em harmonia dizia “Merenda escolar sim, privatização não” e “Anitápolis sim, fosfateira não”.


Agricultores fizeram uma passeata com saída do centro e chegada à Fatma

O Dia de Lutas foi realizado em diversos municípios do estado e Brasil. Em Tubarão, A Fetraf-Sul e os Sintaf’s da microrregião organizaram um passeata que saiu do centro com destino ao prédio da Fatma. O objetivo era entregar a pauta de lutas da agricultura familiar da região.
“Precisamos garantir que os prazos e as leis sejam cumpridas. Nossos agricultores precisam ter seus direitos garantidos. A averbação gratuita, os projetos de habitação, a preservação ambiental são nossas principais lutas. Estamos ainda buscando garantir que sejam mantidos outras lutas já conquistados”, argumenta a presidente da Câmara de Vereadores de Rio Fortuna e representante da Fetraf-Sul Arlete Bloemer.


Agricultores param em frente a sede regional da Fatma, em Tubarão


Em reunião, entidades e Fatma dialogaram sobre o Dia de Lutas

Ao chegaram até a Fatma, os agricultores aguardavam do lado de fora do prédio enquanto havia uma reunião entre a entidade e os representantes da Fetraf. No encontro, os ambientalistas Jorge Albuquerque e Ademir Milo Motta da Silva representaram a Ong montanha Viva e Movimento Nascentes da Serra, respectivamente.
Junto a Fatma em Florianópolis e Tubarão algumas garantias foram conquistadas. Foi constatado também que a EPAGRI deverá ser responsável em realizar os projetos para averbação de reserva legal.
“Neste ano, o Dia de Lutas da Agricultura Familiar do Território Serra-Mar ganhou uma maior visibilidade aos movimentos e apresentou propostas de melhoria para a agricultura familiar de nossa região. Nossa pauta de lutas foi bem fundamentada na busca de assegurar que o agricultor tenha mais vida no campo”, relata o representante do Sintraf de Rio Fortuna, Lino de Souza.


Atividade realizada no dia 4 de maio de 2010.
Com informações do Sintraf do município de Sangão.
Fotos: Elvis Campagnollo.

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Milo 1320.Site melhor visualizado em 1024x768 ou 1152x864

Modificado por Junior